31 de ago de 2010

Em 3 minutos.

...podem acontecer muitas coisas.
Você pode parar pra pensar na sua vida e decidir que a maneira mais certa é aceitar o lado simples de um todo tão complexo. Você pode terminar de se arrumar, tendo em vista que você já está (tão) atrasado. Você pode ligar para uma pessoa, só querendo ouvir aquela voz (não necessariamente falar alguma coisa); ou você pode ligar e falar tudo naqueles sintéticos três minutos: não ter crédito é um problema.
Três minutos podem ser decisivos ou não.
Para mim, no momento, são uma pequena extensão de tempo dentro de duas horas que tenho entre uma aula e outra.
Mas acredito, piamente, que para a maioria das pessoas, três minutos não são nada. O homem simplesmente quer mais tempo, pois seu tempo acabou, é finito, ele quer extrair mais de onde só existem 24.
E - acreditem - parem de pensar em 24 como tempo limitado e definitivo. Você só tem a perder.
Pois em 24 horas existem vários três minutos e basta é uma palavra aproveitável que deve ser considerada.
O tempo quem faz é você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário