19 de abr de 2010

O nascer nosso de cada ano.

à voz de quem me faz falta

Infância pra mim tem o gosto da canjica da minha avó Alyete.
Antigamente eu tinha o tempo em minhas mãos e passava uma semana inteira no lugar onde meus pais casaram: Sulacap. (isso mesmo, onde a Lady Laura foi enterrada hoje)
Lá, na casa da minha avó, eu brincava com as minhas panelinhas, aprendia a fazer crochê e comia a canjica.
- Você quer que a vovó esquente com mais leite e ponha mais canela?

Hoje, o tempo me tem nas mãos e quando falo com minha avó ao telefone, conversamos assim:
- Eu fiz canjica pra você. Você não vai vir me ver? Não gosta mais dessa avó.

Não só gosto não. Amo. E sinto uma saudade imensa de todos os dias que passo com ela. Essa é a merda da aburrescência/adultescência (seja lá onde eu me encontro): nos impõem tantas decisões impulsivas e problemas a pensar que às vezes esquecemos que um dia já rimos com o filme da Disney e que, deep inside, somos verdadeiras crianças. Precisamos ir ao balanço, descer no escorrega, brincar como crianças, amar como crianças, sorrir iguais a elas. Eu penso assim porque sou assim. Sou feliz por ser idiota, como disse o Arnaldo Jabor.

Minha infância carrega o cheiro do bolo de milho da minha avó Vera. (acho que já descobri porque sou doçólatra)
Não sei descrever o que o fazia ser O bolo de milho. Só sei que eu me divertia por comer o bolo de milho que minha avó fazia quando ainda nem pensava em andar com a ajuda de apoios. Quem merece um bolo de milho é ela. Um não, vários.

Minha infância tem cheiro de: cavalo, porque todo domingo eu ia à pracinha com o meu avô; cheiro do Passat 94 do meu pai, onde eu aprendi a gostar de rock, da voz da Cássia Eller e Paralamas. O engraçado é que só descobri ano retrasado que as músicas que ouvia por causa do meu pai, favoritas até hoje, são do Tears for Fears, Duran Duran, The Police, Eagles. Ele escutava U2, mas meu caso de amor pelo U2 já vem desde antes do ano de 2008.
Voltando: cheiro das roupas da minha mãe que eu colocava e saía pela casa me sentindo a mulher mais linda do mundo; cheiro e cor de Barra Shopping: eu adorava ir à piscina de bolinhas com a minha mãe.

Minha infância tem cheiro do meu bolo de aniversário que está neste momento na geladeira. Exatamente à 1:58 da manhã, há 19 anos atrás, eu nasci e daqui a pouco completarei 19 anos de pura criancice e sorrisos na cara. Não só sorrisos, mas o que importa é o significado. A propósito, minhas avós estarão aqui amanhã =]

2 comentários:

  1. Não de Cássia, mas de Cazuza. Cantada por ele é linda, mas por ela é magnífica. e hoje eu estou Cássia.

    ResponderExcluir
  2. Bela música e lindo o texto, emocionante! :)

    ResponderExcluir