31 de mar de 2011

Yellow Submarine Neo-Zelandês

Hahaha, tive a mesma idéia da Renatinha de falar de esmaltes hoje. Hoje eu fiz  - BEM MAL FEITA, diga-se de passagem - a unha com o esmalte que a LIMDA da Carol trouxe pra mim das terras longínquas da Nova Zelândia. O "Amarelo sem nome" da marca Dearlee, nas minhas mãos virou o YELLOW SUBMARINE NEO-ZELANDÊS. Adicionei uma camada do Matt Plus da Big Universo e adorei o resultado. ;)


Me apaixonei perdidamente por essa cor!


Esmalte craquinha

É como meu namorado (carinhosamente, ok?) chama os esmaltes craquelados. Pois bem, da última vez que mostrei o esmalte da vez, eu estava com o "Prata luxo Beyoncé neozelandês", certo? Acontece que estou ficando adepta de três coisas:

1) No meio da semana, como tenho alguns esmaltes de efeito bem legais, eu simplesmente resolvo mudar de cor, ou melhor, transformar a cor. Isso não é sempre, mas essa semana aconteceu.
2) Gosto muiiito de usar anel no dedão do meio. Por isso, pra chamar atenção pra unha E pro anel, eu a pinto de uma cor diferente, faço mistura, faço um detalhe, essas coisas...

O terceiro ponto é, na verdade, uma observação: como sou eu quem faço minhas unhas, eu as pinto de uma em uma semana. Os dedinhos do pé, como eu tenho o costumo de hidratar e ficar sempre de olho no esmalte, consigo fazer ele durar duas semanas. Portanto, vai ser sempre assim: toda semana tem unha; de duas em duas tem o pé (só não tem quando to com MT coisa pra fazer em casa, etc)

Amanhã tem festinha da amiga Mariana (Anairam) e resolvi craquelar meu esmalte. Ficou assim:


O esmalte craquelado em si é fosco e de longe parece que ele tem um efeito aveludado, por isso fica muiiito bonito com esmalte de brilho por baixo. Dá um contraste e tanto. Se vocês perceberem só o do meio tá com extra-brilho. Daí com o anel ele fica assim ó:


Não reparem, eu gosto muito de anelÃO, daqueles bem perua e chamativos XD. Eeeee, como prometido, OLHA O PRATA LUXO. A marca, estrangeira, é Dearlee Nail Polish. Não tem nome, é numerado e o nº da cor é 061. E o meu craquelado da Big.... na época comprei o Vulcano (preto) e o Iceberg (branco). A coleção de craquelados da Big tem três cores (+ o Magma que é um vermelho), mas eu não sou daquelas que diz tchau pro dinheiro arrasando aloka na compra de esmaltes. Antes de sair qualquer coleção, eu já seleciono por preferência de cor e aqueles que eu sei que vou usar mais. Vocês nunca verão aqui, pela minha parte, a compra de uma coleção inteira. Só se eu gostar MUCHO mesmo. A segunda foto é (um dos) meus presentes de aniversário para mim mesma :) Em abril faço 20 aninhos! (êeeeee) Estava saindo do trabalho e vi essa barraquinha de Avon + Natura na Cinelândia. Esmaltes da nova coleção da Avon por dois reais e batons por seis (óoooo *.*). Como esse mês vou economizar MESMO, vou me dar uns presentinhos: escolhi o V.I.P e um batom rosa envelhecido. ADOGO. O outro presente vem depois ^^


Eu sei que o nome dele não tá dando pra ver, mas é pela luz. Acreditem: é o V.I.P. Ele vai ficar para uma próxima, esperando lindamente ser usado. Verei se eu consigo fazer um tutorial de maquiagem com o batom que eu comprei. Não esperem nada profissa! HAHAHA. E ÁAAHH: pra quem mora no Rio e conhece a Praça Saens Peña: ao lado da C&A da praça tem um loja Mercatto que dá esquina com uma galeria. Subindo pro segundo andar dessa galeria, pergunte onde fica a loja de revenda Avon e Natura (com outras marcas tb). Eles cobram BEM mais barato que a revista, inclusive dei uma passadinha lá depois do trabalho e descobri que o esmalte que comprei por dois lá estava 1,60 e o batom de seis, por 3,49 (O.O) Pobre que nem eu acha isso um ACHADÃO e sente um facada no coração, mas, não sei pq, não me importei muito.

Obs2: esqueci de falar que amanhã vou passar extra-brilho em todas as unhas. Gostei muito do efeito com brilho tb xD

é isso, beijocas coloridas!

30 de mar de 2011

O olhar de Minerva

Bombeiros na fachada da UFRJ, na Av. Pasteur
Sei que muita gente já sabe sobre o incêndio que ocorreu no campus da UFRJ na Praia Vermelha. Muita gente viu (ou leu, ouviu), mas ninguém viu o que eu vi. Todos sabem que uma pessoa preserva os seus valores e todo mundo é dotado de um acervo memorial e sentimental que só existe em unicidade, pois ninguém consegue viver duas vidas ao mesmo tempo. O que você carrega até hoje dentro de si, faz parte de um conjunto de memórias que ninguém mais possui: só você. Mesmo que uma mesma cena tenha sido vivida por você e outros tantos, nada é igual. Naquele momento, o que você viu, sentiu, pensou, marcou como importante e contará para uma pessoa se diferenciará por completo do momento do outro. 

Falo isso por dois motivos. O primeiro é porque a minha história com a UFRJ é um capítulo à parte na minha vida; o segundo, porque ontem eu vi uma tristeza que me impressionou bastante. Quando eu passei para a PUC, no ano de 2009, eu não esperava ver meu pai pagando faculdade particular. Ficar um ano inteiro fazendo pré-vestibular, se matando de estudar (verdadeiramente) E não passar para onde você mais queria, traumatiza. Traumatiza mais ainda quando você percebe seus pais adoecendo tentando pagar uma faculdade - como parte física e institucional, não me referindo a certas pessoas que levo com muito carinho e admiração - que não condizia (nem condiz) com a minha realidade. Não me refiro à realidade financeira - mesmo sendo verdade que não tenho condições de bancar uma puc - mas me refiro à realidade de espírito. Mas a grande surpresa foi que, sozinha, eu consegui recuperar minha segurança e passei para as duas faculdades federais do Rio de Janeiro. Sozinha e estudando ao mesmo para vestibular e para provas, trabalhos e projetos de final de semestre da faculdade.

Eu gosto de manter essa história só comigo por medo de outras pessoas me acharem esnobe. Mas descobri que medo é - também - não saber valorizar nossas pequenas conquistas, principalmente aquelas que nos trazem paz de espírito e a capacidade de nos fazer acreditar. Depois de um ano inteiro tentando tirar a UFRJ de dentro de mim, tive que reaprender a conviver com ela, sem me dar conta de tamanho valor. Mas para a minha surpresa, reconheci o clima tão acolhedor do meu amado Colégio Pedro II. E costumo dizer que só sendo um aluno do Pedro II para saber do que estou falando. Não é sua segunda casa: É a SUA casa.

 Vista de dentro da faculdade, com o prédio ainda com focos de fogo nas janelas. Detalhe para o céu que aparece do outro lado da janela: o teto já tinha desabado.
Ontem, quando o prédio inteiro pegou fogo, eu o senti chorando, como se tivesse vida. Essa é a capacidade do ser humano em ver emoção e sentimento em algo material. E o meu valor material em relação à UFRJ me lembra que dou muito valor a cada metro quadrado que existe naquele campus, que durante quatro anos eu vou compartilhar minha vida com ela e que eu sei novamente o que é o sentimento de pertencimento. 


A estátua da Minerva, no canto esquerdo, bem no topo
No topo do prédio, bem no cantinho esquerdo (para quem olha de dentro da UFRJ) existe a estátua de uma Minerva, símbolo da Universidade. Eu tenho um amigo, que na época que ele entrou lá - um período antes do meu - ele costumava dizer que estava tendo um caso de amor com a Minerva. "To indo me encontrar com a Minerva" ou "Hoje eu sou só da Minerva". Pois bem, você me conquistou Minerva e é pra vida inteira, tal qual o Pedro II.

Pra construir leva tempo, enquanto destruição é uma questão de segundos. Mas reconstrução ensina mais, muito mais. A Minerva sabe do que estou falando.

Bombeiros dentro do Palácio Universitário tentando conter o fogo

Mangueiras do corpo dos bombeiros bombeando água do mar, no Iate Clube, pois não havia água suficiente
*Fotos tiradas com o celular do meu namorado.

28 de mar de 2011

Esperar, esperança, expectativas

Sério, esperar respostas é uma coisa muito chata! Por que as coisas não podem ser ágeis e rápidas.
Por que aquele cara com quem você saiu não te ligou no dia seguinte (quando falou que ia te ligar)? Por que o escritório em que você fez entrevista para conseguir um trabalho não ligou no final da semana como a advogada disse que ia? Por que o seu chefe disse que ia responder depois a sua pergunta e no final esqueceu que ela existia?

Ai, ai. Toda essa espera cria uma ansiedade e uma esperança que eventualmente se transformam em expectativas sem nem nos pedir espaço pra entrar no jogo. Expectativas essas que nos deixam loucos, nos transformam em pessoas ansiosas, quase nervosas.

Claro que nem toda ansiedade, esperança e expectativa acabam em maus caminhos, mas às vezes demora muito pra uma estrada remendada se tornar asfalto liso. É por isso que tenho meus momentos de acreditar que o homem veio pro mundo pra sofrer. Porque a gente sofre com as esperas, ai, como sofre.

Entretanto, quando o carinha liga e chama pra vocês saírem de novo; quando ligam pra você (ainda que uma semana depois do que tinham dito) pra comunicar que você conseguiu a vaga que queria; quando o seu chefe eventualmente lembra o que você perguntou e dá aquela ajuda que você tanto queria, tudo vale à pena. Os momentos em que tudo deu errado, as pedras no meio do caminho, o coração desesperado, o nervosismo. Tudo.

Aí a gente esquece tudo isso e quebra a cara de novo. Mais espera, mais esperanças e mais expectativas. Tudo pode dar errado mesmo, então por que não tentar de novo?


Oi, gente!

Aqui é a outra amiga louca da Renata. Vim aqui acrescentar minhas loucuras, meus amores, minha dupla personalidade e meus pseudo-conhecimentos jurídicos! huahauhauahuah

Sejam bem-vindos! :)

Beijinhos!

27 de mar de 2011

E como eu não sou de ferro...

e estava morreeeeendo de postar outra coisa.
Vou começar por UNHAS.

Sim, sempre que possível vou colocar minhas opiniões sobre esmalte, porque sou do time *unhaspintadas até na piscina com muito cloro.
Por agora só vou falar das cores mesmo.

Mão - Esmalte dado por uma amiga linda (Ana Carol Saltoun da UFRJ) diretamente da Nova Zelândia.
Gente, to sem tempo pra postar a foto do esmalte, ñ lembro o nome da marca. Fico devendo, ok?
Esmalte em si: MUITO BOM. O pincel marca uma poquinho de nada ao pincelar, mas ele é um luxo. Me senti A BEYONCÉ em pessoa CAUSANDO. MUAHAUHAUHUAH. Detalhe: eu o batizei de Prata luxo Beyoncé Neozelandês. AhazÁ!

Pés - Hits Tititi - Camila
Meu pé não é NADA de princesa e é veiudo, ok? Mas eu me sinto muito feliz com ele, e isso basta, né??
Esmalte: Gostei muito. Pra um cintilante eu achei a cobertura bem boa. Pra trabalho é ótimo, pq não aparece muito e consegue fazer bonito. Mas sou daquelas que iria de craquelado, flocado e holográfico TUDOJUNTUEMISTURADU pro trabalho. Então, considerem e desconsiderem XD

é isso gente!
Beijos e ótimo início de semana

Minha primeira vez!

Boa noite a todos!
Essa está sendo a minha primeira vez, espero q seja muito prazerosa (hehehe).
É um prazer poder participar desse blog que antes era de uma dona, mas como tudo na vida, as coisas mudam, e agora ele pertence a várias pessoas! Aí sim, isso vai ser Meio Trash, meio TUDO!

beijocas

Reciclagem, conhece?

Este blog aqui já foi depósito de muita coisa. Era somente meu no início, foi terra de ninguém faz um tempo e agora espero que seja de muitas pessoas. Meu blog antigo foi reciclado e por muitos motivos. Não me satisfazia mais em escrever só textos, queria mostrar tudo o que eu pensava ao mesmo tempo. Surgiu a ideia de fazer um primeiro blog com uma amiga chamada Helena (que ainda vai entrar aqui como dona). Mas um blog só de moda, cabelos e coisas de mulherzinha. Falamos, falamos e o tempo passou com muitas coisas para a cabeça pensar. Em dezembro (de 2010) fui trabalhar em uma loja aqui do Rio chamada Eclectic e conheci muita menina bonita querendo ganhar dinheiro. Foi numa dessas que conheci a Pocahon... errr TAMIRES, a Tamy, dali do Donas daqui. (juro, ela é igual à Pocahontas)

Enfim, passou dezembro, passou natal, veio janeiro com meu salário e falávamos ao msn uma vez ou outra. Daí que Tamy saiu da loja, quer passar pra PUC e fazer jornalismo com ênfase em moda. Saiu da loja pra estudar e fazer vestibular. Estudar somente não. Estudar MUITO, segunda ela e eu acredito. Desejamos toda a sorte do mundo a ela. Mas, pra quê esse rolo todo, né? Pois é... Tamy quer se sentir feliz, em um lugar onde ela possa falar de tudo, ler de tudo... um momento no qual ela pode sair do mundo vestibular e ser a Tamires pra valer.

E Thaís? That's (como carinhosamente eu a chamo) é amigona de faculdade (UFRJ -Escola de Comunicação) e queríamos fazer um blog também. Um blog para falar dos ateliês de moda e brechós dessa cidade que é o Rio de Janeiro. Compramos dois livros (chamados Ateliês de moda e brechós do RJ - DÃ!) e o intuito era sair desvendando esses lugares loucos e escondidos e divulgá-los para quem quiser ler e curtir. Mas... falamos, falamos e as férias passaram.

São quatro moças (até o presente momento) que tem muita coisa pra falar. Eu não sou mais a dona desse blog. Eu o criei (ñ me lembro o ano), eu o manti com coisas que não estavam mais me satisfazendo e eu senti muita falta dele. Foi mt feliz quando Tamy abriu meu blog e falou "Vamos aproveitá-lo, ele quer dizer tudo o que queremos fazer." Portanto, somos todas as donas desse blog. Um blog de muitas mães, reciclado e um lugar onde vc vai ver de tudo. Tudo mesmo.

Todas aqui são livres para falar o que quiserem. Como o título mesmo fala: é meio trash, meio tudo. Meio política, meio moda, meio assuntos de mulher, meio coisas sobre vestibular, meio coisas sobre a vida, meio ambições, meio desejos, meio dicas, meio + meio que se transforma em tudo =)

Obs: todas aqui são meninas muiiito trabalhadoras, umas com mais tempo, outras com menos tempo. Logo, não esperem regularidade nas postagens, esperem apenas uma blog com muiiito amor pra dar e que sempre que quisermos postar, faremos! Mas sem obrigação, com vontade. 
Um blog com muito conteúdo.

Dica do dia: Se gostarem ouçam Born This Way - Lady Gaga The country road Version.
Só clicar aqui

Beijos e atéee qualquer próxima!

26 de mar de 2011

"Sonho e Realidade" - Quatro Anos Depois.

"Era um sonho lindo, talvez o mais lindo que já tivera em 16 anos, onde garotos caiam aos seus pés, onde não existia mais o medo em seu olhar, mas sim a decisão, um sorriso verdadeiro, a sinceridade e a beleza que ela talvez nunca acreditasse em ter. Onde ela poderia dançar sem se reprimir, poderia cair sem ter vergonha, onde ela poderia gritar, rir e chorar sem ter que explicar, onde ela poderia mostrar o seu verdadeiro amor, talvez fosse só isso que ela queria. Ou talvez não. Talvez ela fosse se libertar daquele amor infantil, e era isso que ela fazia no sonho, jogava bilhetinhos secretos que ela tinha guardado para um garoto por anos no chão e depois ateava fogo. Ela estava diferente no sonho. Sim, ela já não era mais a mesma, ao contrário da real menina que agora estava deitava em sua cama roadeada de bichinhos, essa nova menina tinha um brilho diferente, tinha tudo diferente. Se olhou no espelho e acordou. O acordar para ela, naquele momento, foi um piscar de olhos. Não era um sonho, era a mais pura realidade, já não era tão boba quando fora no ontem e com certeza o futuro lhe provaria que ainda havia muito o que descobrir. Não, ela nunca acreditou que os 16 anos de "criança" foram um desperdício, mas sim ela sempre acreditou no aprendizado em todas as situações. Dali por diante o céu seria a primeira barreira de muitas pro infinito."

Essas palavras eu escrevi em um dia de Outubro há quase quatro anos atrás. A escolha delas para a minha estréia no blog tem um motivo muito singelo: O sonho se tornou realidade. Aos 20, a menina hoje é uma guerreira, que está quebrando todas as barreiras pra chegar onde sempre sonhou. O medo não existe mais, a felicidade tomou conta do lugar. (: