30 de mar de 2010

Capacidade

O ser humano perdeu a capacidade de avaliar com outros sentidos.
Por que um cego, quando enxerga pela primeira vez, consegue encontrar beleza no que vê?
Fica estonteado. Acha razão para a vida em uma nuvem ou uma formiguinha.
(Formiga?)
Vejo coisas que banalizaram meu cotidiano. Ou melhor, que meu cotidiano banalizou.
Perdi a capacidade de prestar atenção ao tato. Ao olfato. À audição.
Muito mais poderosos, se deixados fluir no singular, e capazes de remeter a uma sensação por muito mais tempo.
As cenas de um dia na minha cabeça passam como flash.
São como fotos. Rápidas. Seleciono aquelas que ficaram por sorte.
Mas consigo lembrar de uma conversa inteira.
Sinto o cheiro do lugar no momento. Lembro que afastei minha mão do sol: incomodava. Fiquei vermelha: sorri. A parte imagética modifica-se e me olho pegando na parte áspera da conversa. Esqueço.
Lembro do meu cabelo fedendo a ovo e a café. Senti meus pés no asfalto da Urca, de Copacabana e praticamente da Zona Sul inteira. (mais quente, mais frio). Toquei minha pele: não podia ser eu.
Guardo.
Lembro das fotos daquele momento. Tento imaginar as sensações de cada uma. Tudo o que me resta são: sons e música.
Guardo.
A riqueza está nos detalhes, lembrem-se disso.

2 comentários:

  1. as coisas mais belas nessa vida estão nos pequenos detalhes.. aqueles tão pequenos, que quase ninguém nota! a maioria tem mania de achar que a vida só e magnífica com grandes acontecimentos, e nem percebe que os grandes dependem daqueles pequenos e cotidianos acontecimentos... O barulho dos passarinhos pela manhã, da coruja e dos grilos a noite, o sabor de um suco de maracujá gelado num calor escaldante, um cafuné, uma massagem e um abraço espontâneos, a beleza do nascer e do pôr do sol, dormir bem e acordar espontaneamente, deitar na rede e sentir a brisa no rosto, andar descalça na areia da praia, catar conchinhas... :P

    obrigada pelo comentário no Linguas Presas, fiquei feliz por ter gostado do meu post sobre o amor. Porque até ele só é bonito quando a gente reconhece os detalhes, né?

    beijos ;*

    ResponderExcluir
  2. me identifico muito com tudo isso aqui, parece até que fui eu que escrevi.... :)

    ResponderExcluir