31 de jul de 2009

Uma reflexão sobre a minha vida.

Tem dias que infelizmente o mundo resolve ir contra a força da gravidade. Não adianta o quanto você fique calada, recolhida em um canto com os seus pensamentos para não interferir no resto do mundo: se você não vai de encontro à vida, ela vem de encontro a você. Parece um campo magnético - você está indo na corrente X e, vindo em sua direção, um problema surge na corrente Y, pronto para a colisão. Foi isso que aconteceu comigo hoje.
Não adianta espernear, dar porrada contra o ar, chorar, inventar soluções que não combinam com o meu jeito de ser. Os meus problemas são do tipo familiares. Especificando, possuo um desentendimento com os meus pais em relação a minha liberdade. Há dias em que, já cansada de estudar, ver livros e fórmulas, eu preciso respirar um ar, ver um rosto amigo a fim de me livrar um pouco da pressão de um ano de vestibular + faculdade. SÓ QUE, eles não entendem. Ou entendem e preferem persistir no erro. Será que eles não percebem que eu preciso desse tempo para poder continuar firme e forte nas minhas responsabilidades do dia seguinte? Senão eu vou entrar em depressão.
Sou do tipo que dispensa saídas, viagens e encontros por estar consciente de que não terminei tudo o que tinha que fazer. Eu mesma me imponho limites (e eles impõem ainda mais). Mas eu cansei. Vejo as minhas amigas com a mesma idade (18 e 19 anos) com pais mais compreensíveis e liberais. Eu quero um pouco mais de espaço... só que descubri que meus pais não vão mudar. Começo a suspeitar que terei de conquistar essa liberdade "a mais". Convencê-los da minha consciência a cerca das minhas metas.
A sorte deles é que sou uma filha que os ama acima de tudo, que entende as aflições de pais para filha, pacífica e nada rebelde. Só que preciso ativar um pouco mais a minha voz e as minhas vontades.
Precisava hablar =)

29 de jul de 2009

"Propaganda é a alma do negócio..."

Estou aqui pura e simplesmente para divulgar.
O quê?

O novo filme do Johnny Depp.
Na minha opinião, lindamente filmado.
Inimigos Públicos (Public enemies, Michael Mann, 2009) retrata a história de um grande saqueador de bancos, John Dillinger, famoso por conseguir roubar tudo de qualquer banco em um minuto e 40 segundos. Tá, mas e daí né? O que mais me impressiona - e eu vou bater nessa tecla por muitas vezes - é a capacidade do Johnny Depp em interpretar qualquer papel. Sim, eu o considero um puta ator: qual outro ator consegue mudar de fantasia para terror? De desenho animado para ação? Tá aí, fica como enquete... Vocês conhecem algum outro ator que consiga essa maestria em interpretação?

Sugiro dois nomes brasileiros: Marcos Nanini e Selton Mello. Na minha opinião eles são OS caras. Mandam muito..

Acho que no meu próximo post eu vou fazer uma análise sobre cada um deles, só pra declarar o quanto eu admiro o trabalho deles. lol xD

Tá gente então voltando ao assunto:
ASSISTAM INIMIGOS PÚBLICOS!
Filmaço em todos os sentidos para quem gosta desse tipo de filme.

Trailer para dar aquele gostinho na boca:
http://www.youtube.com/watch?v=6Cus3ztwJvE


Boa pipoca :)

20 de jul de 2009

Dia 20

Amigo
adj.
adj.
1. Que sente amizade por.
2. Que está em boas relações com outrem.
3. Simpático.
4. Propício, favorável.
s. m.
5. Pessoa à qual se está ligado por uma afeição recíproca.
6. Partidário.
7. Amásio.
Segundo a definição do dicionário, amigo é isso aí.
Já contrariando, não é não.
Aliás, como pode existir a explicação de AMIGO no dicionário? ¬¬
Para mim, amizade pode ATÉ ser explicada com palavras, mas mesmo assim continuarei sentindo falta de algumas outras. Pode ser demonstrada em atos, mas nem todos vão conseguir exprimir o que sinto. Posso tentar explicar na hora, e não vou conseguir.
Um mega abraço em todos os meus amores. :)
Obrigada por tudo.

15 de jul de 2009

Oi blog, cá estou :)


Feito por mim. Saudade de escrever.




O mundo parou para Sofia. Parou só para olhar aqueles dentinhos de leite, todos se exibindo. Naquele exato momento, o ar congelou. Os olhos dela brilharam como se tivessem visto calda de chocolate! Sinto uma semelhança... Seria coincidência ou ela realmente tem olhos da cor de brigadeiro? É um doce. Eu penso e sorrio comigo mesma. O fato de não conhecê-la, não impediu que eu a descrevesse. Afinal, esse é meu trabalho: fotojornalista. E o dela, bem, naquele momento a função dela era sorrir para a câmera. E a menina o fez com excelência, como se fosse exatamente aquela sua profissão. Me pego imaginando como seria fácil ganhar dinheiro por sorrir para a vida. Penso mais um pouco e descubro a verdade: ela o fez não pelo dinheiro, mas porque crianças carregam a simplicidade dos pequenos atos. Ela é feliz somente por sorrir, e sorri porque está feliz. Quando crescer quero ser igual a ela. Belo exemplo de vida. E lá vai a pequena novamente – “Sofia!” – parou para o mundo.